bolo mármore

24 02 2008

não fiz este bolo mais do que duas a três vezes, e não o faço certamente desde os meus 11 ou 12 anos – ou seja, há mais de 15 anos.

apesar de ser bom e de ser também bonito, guardei dele a ideia de ser difícil de fazer, complicado ou demorado, já nem sei ao certo…. mas ontem quis fazer um bolo e lembrei me dele, fui buscar o livro da vóvó donalda à estante e procurei a receita para tentar perceber se era viável fazê-lo para a sobremesa do almoço (já passava do meio-dia). achei o tão simples que quase nem deu gozo fazê-lo, a preparação é muito rápida! a minha recordação de dificuldade deve ter ficado por causa da manteiga amolecida, na altura ainda não tinha micro-ondas, penso que tenha sido isso, não sei bem – ou talvez de ter dois cremes para misturar, para uma criança não deve ser muito simples, mas agora parece-me mesmo uma brincadeira de crianças!

segue a receita com as alterações que lhe fiz – há muitos anos que deixei de seguir as receitas à risca ;)

Ingredientes:

  • 125gr de manteiga amolecida
  • 125gr de açúcar
  • 3 ovos
  • meia caneca de leite de soja
  • 250gr de farinha com fermento
  • 1 colher de café de fermento em pó (apesar da farinha ter fermento)
  • 1 colher de café de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 5 a 6 colheres de sopa de achocolatado suchard express

Preparação:

Bate-se a manteiga com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado, e junta-se-lhe as gemas. A seguir, junta-se o leite e a farinha, aos poucos, mexendo sempre. Deita-se na massa o fermento e o bicarbonato de sódio, mexe-se bem, e depois adicionam-se as claras batidas em castelo, envolvendo com cuidado, até ficar tudo bem homogéneo.

Deita-se metade da massa para outra taça, deita-se o chocolate e mexe-se muito bem. No creme que não tem chocolate, deita-se a essência de baunilha e mexe-se bem.

Numa forma rectangular, untada com manteiga e polvilhada com rafinha, deitam-se colheradas alternadas de creme com chocolate e creme sem chocolate. Coze em forno médio durante cerca de 40 minutos.

bolo mármore - que acabou no próprio dia!

Bom Apetite!





bolo da caneca – chocolate

21 02 2008

na minha ronda habitual pelos blogs, encontrei – mais uma vez – a receita do “bolo da caneca” e como até estava a pensar em ir lanchar, toca de escrever os ingredientes e ‘bora prá cozinha! segundo a risonha, a receita é assim:

Ingredientes e Preparação:

Numa caneca grande, põem-se 4 colheres de sopa de farinha, 4 colheres de sopa de açúcar, 2 colheres de sopa de chocolate em pó, e mexe-se, junta-se um ovo inteiro e mexe-se bem. Deita-se na massa 3 colheres de sopa de leite e 3 colheres de sopa de óleo, mexe-se muito bem e vai ao microondas durante 3 minutos. Desenforma-se – ou “desencaneca-se” ;) – e come-se!

bolo da caneca

O meu ficou pouco escurinho porque, na falta de chocolate em pó, usei achocolatado da suchard express, mas posso confirmar que sabe muito bem e que mais rápido é impossível! Ah,… a minha mãe primeiro riu-se, enquanto me via a fazer, depois disse que não ia esperar para provar porque estava com pressa para sair, mas o bolito é tão rápido que ela provou, ainda foi buscar mais um bocadito, e até disse que quer saber como se faz para depois fazer para os lanches dela, eheheh ;)





tarte de limão “dos óscares”

21 02 2008

esta é a minha tarte de eleição, é uma receita da minha autoria, e só agora percebi que não tenho quase fotos nenhumas dela, não é estranho??

chamamos-lhe “dos óscares” porque tornou-se tradição levá-la para as sessões de “enfardamento” em noite de óscares, onde era acompanhada das mais variadas iguarias, desde os crepes da mariana, com nutela e com a ajuda da sofia, até aos pastéis de belém, ovos moles de aveiro, tarte de chocolate da avó do miguel (deliciosa!!), salame de chocolate, e muitas mais. eu comia e comia e comia, entre risos e galhofas e coisas que tais, e depois ia me deitar, quando a taralhoca, a baillaroska, e as outras meninas (e meninos, já em fase posterior) faziam pausa na comida para ver a cerimónia dos óscares. sim, sim, que eu sou aquela que não só tenho mau feitio quando fico com sono, como não sei o nome de mais do que 4 ou 5 actores/actrizes =P

esta tarte é daquelas que ou se adora ou não se gosta de todo. para quem gosta, cá vai a receita:

Ingredientes e Preparação:

para a massa:

  • 200gr de farinha
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 gema
  • 1 colher de sopa, mal cheia, de vinagre
  • 100gr de manteiga

Juntam-se os ingredientes todos numa taça, amassam-se com as mãos e quando estiver homogéneo, forra-se a tarteira, previamente untada com manteiga. pica-se a massa com um garfo, e vai ao forno 5 minutos. Desliga-se o forno, entreabre-se a porta, e deixa-se estar.

para o recheio:

  • 1 lata de leite condensado
  • 2 gemas
  • raspa e sumo de 1 limão
  • 1 pacote de natas (200ml)
  • maizena “engrossa molhos” qb

Num tachinho anti-aderente, deite o leite condensado, as gemas e a raspa do limão e leve ao lume, mexendo de vez em quando, até começar a borbulhar. Junte as natas, vá mexendo até o creme voltar a borbulhar, e aí junte o sumo de limão. O preparado vai engrossar um bocadinho, logo que comece a ferver, mas não o suficiente para se manter depois na forma, então convém juntar cerca de 2 colheres de sopa de maizena “engrossa molhos”, rasas (a maizena normal, ficaria cozida e em grumos, de imediato, por isso não convém usar) e deixar cozer. O creme deve ficar consistente mas não duro, talvez seja necessário juntar um pouco mais de maizena, vai depender sempre, eu nunca consigo usar a mesma quantidade, é sempre variável ;).

Deita-se o creme, ainda quente, na tarteira, e deixa-se arrefecer perto de uma janela, para o recheio da tarte ficar consistente e não entornar.

para o merengue:

  • 3 claras
  • 90gr de açúcar

Batem-se as claras em castelo, junta-se o açúcar e bate-se mais um pouco, e depois espalha-se o merengue por cima do recheio da tarte. Eu espalho com uma faca, para alisar, e atiro – literalmente – os últimos pedacinhos de merengue, para ficar mais bonitinho :) polvilha-se com açúcar (pouco!) e vai ao forno até o merengue estar douradinho =)

Ao tirar do forno, cuidado para manter a tarteira direita, o recheio quente tem tendência para entornar. Com cuidado, descola-se a massa de tarte das paredes da tarteira, mas convém desenformar fria.

 

tarte de limão dos óscares

Bom Apetite!





bolo de iogurte

17 02 2008

É uma das receitas mais antigas que tenho, e sai sempre bem – deu-ma uma vizinha, há muitos anos, depois de ter feito o bolo para eu e a filha dela lancharmos, pelo meio de alguma tarde de brincadeiras (fui eu que pedi a receita, pois claro!).

A receita original manda usar iogurte natural, mas eu prefiro fazer com iogurte de côco ou de banana – ontem usei um de baunilha, era o que tinha cá em casa (também tinha de morango, mas achei que não ficaria tão bem…). Para um bolinho pequeno, faz-se assim:

Ingredientes:

  • 1 iogurte
  • 3 ovos
  • 3/4 de copo de iogurte com óleo
  • 2,5 copos de iogurte com açúcar
  • 3 copos de iogurte com farinha
  • 1 pitada de sal

Preparação:

Numa taça, batem-se os ovos inteiros, junta-se o iogurte, o açúcar e a pitada de sal, e mistura-se bem. Depois, vai-se juntando a farinha aos poucos e mexendo com a colher de pau (sim, sim, eu uso colheres de pau, venha lá a asae implicar comigo, que eu não me importo!), e quando estiver uma mistura homogénea e sem grumos junta-se o óleo e mexe-se devagar (se for depressa, salta óleo para todo o lado… ehehe) até ele estar totalmente incorporado na massa.

Unta-se uma forma com manteiga/margarina (com buraco ou sem ele, é indiferente) e polvilha-se com farinha, deita-se lá a massa e vai a forno médio (o meu é a gás e sem termostato, portanto, não sei a temperatura, é “a olho”) durante cerca de 40 minutos – convém confirmar com um palito se o bolo está cozido, porque às vezes fica douradinho por cima mas cru no meio: quando me acontece, pego num garfo e parto a parte de cima do bolo, deixando a massa crua a descoberto. É eficaz ;)

bolo de iogurte

Bom apetite!