Doce de Abóbora

8 10 2008

O doce de abóbora é o doce da minha infância.

Gosto dele quente, com pedaços grandes de abóbora que posso trincar e comer com o garfo, de olhos fechados, ou a olhar pela janela. Quando era pequena, aquecia um copo de leite, pegava num bocado de abóbora com o garfo e mergulhava no leite quente, para que a abóbora ficasse quentinha por fora e fria por dentro, e depois comia, deliciada :) Há quem diga que, por ter pedaços, será compota e não doce, mas para mim é doce de abóbora e ponto final.

Não me recordo da minha mãe fazer outras compotas ou doces, e sei que as fez, mas não as registei nas recordações. O doce de abóbora é diferente: lembro-me de várias vezes estar na cozinha, apenas à espera que a abóbora estivesse suficientemente doce para eu poder roubar um bocadinho (ou dois, ou três) com o garfo, ainda durante a cozedura. o cheiro, o sabor, estão como que entranhados na minha alma…

Mas a minha mãe deixou de fazer doce de abóbora há já muitos anos, e nunca mais comi outro igual. Ou falta sabor, ou está muito passado, ou está aguado, ou não tem cheiro, ou não tem canela.

Ora bem… Eu tinha uma abóbora à espera de ser descascada e cortada, para congelar e depois usar para fazer sopa. Eu olhei para ela, ela olhou para mim, eu voltei a olhar para ela, descasquei-a, cortei-a, pesei 2kgs e deitei-os na panela. Juntei-lhes 2 paus de canela, 1,5kg de açúcar, tapei e acendi o lume no mínimo. Cerca de 10 ou 15 minutos depois, fui mexer, aumentei o lume para deixar ferver e quando ferveu voltei a pôr no mínimo, pus a tampa ligeiramente de lado, para deixar o doce respirar, e deixei cozer, mexendo de vez em quando. Cerca de 3 horas depois, tinha a cozinha impregnada do cheiro da abóbora doce com canela, e um sorriso nos lábios =) o meu doce ficou igual ao que me recordo do doce de há tantos anos…

rendeu 5 frasquinhos, dos quais 2 ficaram cá para casa. um já foi lavado hoje, o outro está pouco mais de meio. acho que tenho de fazer mais ;)

paula