Bolo de Cenoura c/ Cobertura de Chocolate

21 06 2008

o meu mano fez anos no passado dia 13, e pediram-me para fazer o bolo de aniversário.

eu gosto de fazer doces, particularmente doces, e gosto de receitas novas, de coisas que não experimentei antes, de poder demorar-me com os ingredientes, com a preparação. não gosto de receitas expresso, apesar de saber dar-lhes o devido valor (quantas vezes não salvam o dia?)…

apesar de me sentir à-vontade com a confecção de sobremesas, nunca me dediquei muito à decoração, apesar de ser uma parte fundamental – na maioria das vezes, faço bolos simples, sem recheio nem cobertura, até porque gosto deles assim, gosto de sentir o sabor da comida. o que não é uma justificação, porque entretanto surge uma situação como esta, e eu não tinha como decorar o bolo. « e agora??? »

e agora… decidi fazer uma cobertura de chocolate, mas também não tinha nenhuma receita e não encontrava nenhuma que me convencesse. queria uma cobertura consistente, que não fosse líquida, e nenhuma das que fui encontrando online me dava essa garantia. depois de ver muitas, decidi ir experimentando e ver no que dava. fiz o mesmo relativamente ao recheio, e correu bem =) esta receita de bolo de cenoura conquistou-me, e o resultado final foi este:

 

 

Bolo de Cenoura

  • 3 cenouras grandes
  • 1 pau de canela
  • casca de uma laranja (sem a parte branca)
  • 1 colher de sopa de mel
  • 1 colher de sopa de açúcar amarelo
  • 5 ovos
  • 150gr de açúcar
  • meia lata de leite condensado
  • 250gr de farinha
  • 1dl de óleo
  • 1 colher de chá de fermento

Raspam-se e cortam-se as cenouras em cubos pequenos, deita-se num tacho juntamente com a casca de laranja, o açúcar amarelo, o mel e o pau de canela, deita-se água apenas para cobrir a cenoura e leva-se a cozer. Quando a cenoura estiver cozida, escorre-se, tiram-se as cascas de laranja e o pau de canela e reduz-se a puré (com passe-vite ou varinha mágica).

Batem-se as claras em castelo e no fim acrescentam-se 50gr de açúcar; batem-se as gemas com o restante açúcar até o creme ficar esbranquiçado e junta-se o leite condensado, o óleo e a cenoura, continuando a bater. Depois, junta-se o fermento à farinha e vai-se adicionando à massa, envolvendo bem.

Por fim, envolvem-se as claras na massa, sem bater muito, para ficarmos com um creme fofo. Vai ao forno a 150º até cozer, demora cerca de 20/25 minutos.

 

Recheio de Mascarpone

  • 250gr de queijo mascarpone
  • 2 claras de ovo
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • açúcar q.b.

como já disse ali em cima, o recheio também foi decidido “em cima do joelho”, sem receita. queria experimentar alguma coisa com queijo mascarpone, mas não sabia o quê, tal como não sabia que recheio ficaria bem no bolo. fazer chantilly não me convencia, primeiro porque a minha batedeira não é a ideal para as natas, depois porque com o peso da parte de cima do bolo, o recheio não podia ser demasiado mole sob pena de sair todo pelas laterais… “se o mascarpone é bom para o tiramisú, também é bom para o meu bolo!” =)

batem-se as claras em castelo firme, junta-se o queijo e continua a bater-se com a batedeira até estar uma mistura homogénea e bem firme. junta-se a essência de baunilha, e açúcar a gosto (eu fui pondo e provando, por isso não sei dizer quanto pus. foi literalmente a gosto!). e vai para o frigorífico, enquanto o bolo arrefece.

Eu deixei o bolo arrefecer junto de uma janela entreaberta (não muito entreaberta, para a gata não sair por lá, pois claro!), e quando esfriou cortei o bolo ao meio, na horizontal – apesar de eu ter uma faca normal em vez daquela serrinha própria, não foi muito difícil. depois de cortado, saquei a parte de cima, tirei um bocadinho do miolo do bolo – não exactamente para arranjar espaço, mas para o provar ;) – barrei com o recheio e tapei com a parte de cima que tinha tirado. faltava só a cobertura de chocolate ;)

 

Cobertura de Chocolate

  • 200gr de chocolate para culinária (para a próxima uso chocolate de leite)
  • meia lata de leite condensado (a que sobra do bolo!)
  • 1 pacote de natas
  • açúcar, se acharmos que deve ficar mais doce

num tacho antiaderente, deitam-se as natas e o chocolate partido em pedaços pequenos, e deixa-se derreter em lume brando, mexendo sempre para ajudar a incorporar bem o chocolate nas natas. quando estiver uma mistura homogénea (muitas vezes se usa esta palavra nas receitas!! ou sou só eu…?), junta-se o leite condensado, e continua a mexer-se, suavemente. prova-se o creme, se estiver pouco doce junta-se açúcar (sim, a gosto, não sei quanto pus. é o que dá ter um açucareiro-doseador…). quando achei que estava pronto, pus à janela e fui mexendo, para ajudar a arrefecer mais depressa.

assim que ficou morno, peguei numa colher e numa faca, sentei-me em frente ao bolo, e comecei a barrá-lo. foi bem mais fácil do que eu esperava! =)

Nota: a camada da cobertura ficou generosa, como dá para ver pela foto. numa próxima vez, não ponho tudo, prefiro uma camada fininha. com chocolate negro, acaba por ficar um sabor muito forte, que se sobrepõe ao resto do bolo.

Anúncios




Folhados de Espinafres

25 05 2008

há alguns meses, vi esta receita no blog da a. e logo a seguir no da c., e fiquei de orelhita no ar =)

é uma receita muito simples e pareceu-me muito apetitosa, portanto não me esqueci dela – e há poucos dias resolvi experimentar. comprei massa folhada já cortada em quadradinhos (da bimbo), fui ao quintal apanhar espinafres frescos, e mãos à obra:

Ingredientes:

  • 6 quadrados de massa folhada
  • 400 gr de espinafres
  • queijo de cabra
  • 100ml de natas
  • pimenta e noz-moscada a gosto
  • gema de ovo para pincelar

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 200º. Entretanto escaldam-se os espinafres durante 1 minuto em água a ferver, e depois cortam-se em bocadinhos pequeninos. Numa taça, misturam-se os espinafres com as natas, e tempera-se com pimenta e noz-moscada – eu tinha um restinho de queijo emental ralado, misturei também. Escorre-se bem (para tirar o excesso das natas e da água que entretanto os espinafres libertaram) e distribui-se a mistura pelos quadrados de massa folhada (dá pouco mais de uma colher de sopa para cada um).

Por cima, põe-se o queijo de cabra (eu ralei na hora) e fecham-se os folhados, pincelando com gema de ovo para selar. Vai ao forno até estarem douradinhos – cerca de 20 minutos – e já está!

folhados de espinafre da a.

Eu servi os folhados acompanhados de salada de alface e cenoura, temperada com sal, azeite, vinagre e cebolinho ralado. Estava óptimo =)

Bom apetite!





Tarte de Chocolate (da avó do Miguel)

16 03 2008

Provei esta tarte, pela primeira vez, num aniversário do Miguel, comprovei o quão boa era numa das noitadas de óscares, e pedi a receita =) Mas, apesar de seguir as indicações à risca, não consigo que a tarte ganhe consistência a não ser que a congele =( ontem voltei a fazê-la e voltou a ficar mais pudim do que tarte… Mas sempre muuuito boa – para chocólatras ;)

Ingredientes e Preparação:

Para a base:

  • 1 pacote de bolacha torrada moída
  • 200gr de manteiga
  • 1 colher de açúcar

Amassa-se tudo com as mãos e forra-se uma tarteira de pirex/vidro/loiça. Vai ao frigorífico até os cremes estarem prontos.

Para o creme de chocolate:

  • 3 ovos batidos
  • 4 colheres de sopa de açúcar
  • 2 colheres de sopa de farinha
  • 1 colher de sopa de maizena
  • 1 pacote de chocolate em pó
  • 1 copo e meio de leite

Batem-se os ovos com o açúcar e as farinhas, mexe-se muito bem para desfazer os grumos, e junta-se o leite. Vai ao lume até engrossar e junta-se o chocolate – se o creme formar caroços, bate-se um pouco com a batedeira. Deita-se na tarteira e põe-se no frigorífico.

Para as natas:

  • 1 pacote de natas
  • 3 colheres de sopa de açúcar

Batem-se as natas em castelo, junta-se o açúcar e bate-se mais um pouco. Espalha-se por cima do chocolate e põe-se no congelador até 15 minutos antes da altura de servir.

Tarte de Chocolate

Apesar de toda a gente ter gostado – e eu também ;) – não fiquei satisfeita com a textura e vou fazer ajustes da próxima vez. Depois conto ;)





tarte de limão “dos óscares”

21 02 2008

esta é a minha tarte de eleição, é uma receita da minha autoria, e só agora percebi que não tenho quase fotos nenhumas dela, não é estranho??

chamamos-lhe “dos óscares” porque tornou-se tradição levá-la para as sessões de “enfardamento” em noite de óscares, onde era acompanhada das mais variadas iguarias, desde os crepes da mariana, com nutela e com a ajuda da sofia, até aos pastéis de belém, ovos moles de aveiro, tarte de chocolate da avó do miguel (deliciosa!!), salame de chocolate, e muitas mais. eu comia e comia e comia, entre risos e galhofas e coisas que tais, e depois ia me deitar, quando a taralhoca, a baillaroska, e as outras meninas (e meninos, já em fase posterior) faziam pausa na comida para ver a cerimónia dos óscares. sim, sim, que eu sou aquela que não só tenho mau feitio quando fico com sono, como não sei o nome de mais do que 4 ou 5 actores/actrizes =P

esta tarte é daquelas que ou se adora ou não se gosta de todo. para quem gosta, cá vai a receita:

Ingredientes e Preparação:

para a massa:

  • 200gr de farinha
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 gema
  • 1 colher de sopa, mal cheia, de vinagre
  • 100gr de manteiga

Juntam-se os ingredientes todos numa taça, amassam-se com as mãos e quando estiver homogéneo, forra-se a tarteira, previamente untada com manteiga. pica-se a massa com um garfo, e vai ao forno 5 minutos. Desliga-se o forno, entreabre-se a porta, e deixa-se estar.

para o recheio:

  • 1 lata de leite condensado
  • 2 gemas
  • raspa e sumo de 1 limão
  • 1 pacote de natas (200ml)
  • maizena “engrossa molhos” qb

Num tachinho anti-aderente, deite o leite condensado, as gemas e a raspa do limão e leve ao lume, mexendo de vez em quando, até começar a borbulhar. Junte as natas, vá mexendo até o creme voltar a borbulhar, e aí junte o sumo de limão. O preparado vai engrossar um bocadinho, logo que comece a ferver, mas não o suficiente para se manter depois na forma, então convém juntar cerca de 2 colheres de sopa de maizena “engrossa molhos”, rasas (a maizena normal, ficaria cozida e em grumos, de imediato, por isso não convém usar) e deixar cozer. O creme deve ficar consistente mas não duro, talvez seja necessário juntar um pouco mais de maizena, vai depender sempre, eu nunca consigo usar a mesma quantidade, é sempre variável ;).

Deita-se o creme, ainda quente, na tarteira, e deixa-se arrefecer perto de uma janela, para o recheio da tarte ficar consistente e não entornar.

para o merengue:

  • 3 claras
  • 90gr de açúcar

Batem-se as claras em castelo, junta-se o açúcar e bate-se mais um pouco, e depois espalha-se o merengue por cima do recheio da tarte. Eu espalho com uma faca, para alisar, e atiro – literalmente – os últimos pedacinhos de merengue, para ficar mais bonitinho :) polvilha-se com açúcar (pouco!) e vai ao forno até o merengue estar douradinho =)

Ao tirar do forno, cuidado para manter a tarteira direita, o recheio quente tem tendência para entornar. Com cuidado, descola-se a massa de tarte das paredes da tarteira, mas convém desenformar fria.

 

tarte de limão dos óscares

Bom Apetite!





mousse de manga

7 11 2007

Normalmente, desconfio das receitas que vêm nas embalagens de farinha, de fruta em calda, enfim – das receitas que as marcas disto ou daquilo sugerem (à excepção da nestlé e da maizena…), mas a minha mãe comprou uma lata de polpa de manga, a pensar que era manga em calda, e precisávamos gastar aquilo… como não vislumbrei nenhuma opção melhor, e além disso precisava de um doce rápido de fazer, resolvi arriscar. e correu bem, desta vez nem há foto ;)

ingredientes:

  • 500gr de polpa de manga (1 lata grande)
  • 1 lata de leite condensado
  • 2 pacotes de natas (ou 2 iogurtes naturais. eu tinha natas e não tinha iogurtes, usei as natas)
  • 5 folhas de gelatina incolor (a receita original manda pôr 4, mas um pouquinho mais de consistência não lhe faz mal algum ;) )
  • 2dl de água

preparação:

Põem-se as folhas de gelatina na água quente, e deixa-se dissolver, e arrefecer.

Entretanto, mistura-se a polpa de manga com o leite condensado e as natas, e bate-se, de preferência com a batedeira eléctrica, até estar homogéneo. Junta-se a água com a gelatina, e volta a bater-se para incorporar bem a gelatina no doce.

E já está!! vai ao frigorífico durante 5horas e está pronta a servir!





pudim de pão com manteiga

6 07 2007

a primeira vez que vi este pudim, feito pela claire (uma amiga inglesa), achei que tinha um aspecto duvidoso, mas depois de provar pedi logo a receita :)

ingredientes:

  • 15 fatias de pão de forma sem côdea
  • manteiga (mas manteiga mesmo – de vaca e com sal – nada de imitações)
  • 2 pacotes de natas
  • 3 ovos
  • 4 colheres de sopa de açúcar
  • 1 copo de leite
  • passas de uva (facultativo)

preparação:

cortam se as fatias de pão em triângulos, e barra-se com manteiga de um dos lados e dispõe-se, com a parte barrada para cima, num tabuleiro de pirex em duas ou três filas.

pudim de pão com manteiga

misturam-se as natas com os ovos batidos, junta-se o leite e o açúcar, e quando estiver tudo homogéneo deita-se por cima do pão, e vai a forno médio até começar a borbulhar (cerca de 15 minutos) – aí, polvilha-se com açúcar para dourar, e podem juntar-se passas de uva.

volta ao forno mais cerca de 20 a 25 minutos, ou menos, se os “biquinhos” do pão já estiverem castanhitos.

bom apetite!

PS. sabe melhor frio, bem frio =)